segunda-feira, 18 de maio de 2015

20 Anos depois, Ribeirão cai para os Distritais

O GD Ribeirão deslocou-se ontem à vizinha cidade de Santo Tirso, onde defrontou o FC Tirsense e perdeu por duas bolas a uma, na penúltima jornada do CNS-Série B e assim infelizmente consumou o que se previa, há algumas jornadas atrás a descida aos Distritais da AF Braga, vinte anos depois da última participação na provas da associação bracarense.

O Ribeirão durante o jogo não foi inferior ao seu adversário, mas no capitulo da finalização deixou muito a desejar e por seu turno o Tirsense foi mais concretizador e ao intervalo vencia por duas bolas a zero nas duas ocasiões que foi com perigo à baliza ribeirense, na segunda parte o Ribeirão só conseguiu reduzir já nos minutos finais por Ogana, quando faltavam jogar apenas dois minutos.
Um dia negro e marcante para a história do futebol ribeirense que depois de 20 anos a disputar as provas nacionais, desce aos escalões inferiores dos distritais da AF Braga.

Tristeza e consternação é o que se vive nas hostes ribeirenses, depois de uma época a todos os níveis decepcionante, com a descida de divisão, falhando a manutenção, que era o objectivo inicial. O não cumprimento das promessas da direcção, nomeadamente na criação da SAD. O falhanço nas negociações com os possíveis investidores, tanto se falou em Jorge Mendes e Peter Lim, mas de concreto nada se viu. Os resultados da época estão todos aquém dos esperados e em breve espera-se uma Assembleia Geral do clube que se prevê agitada e que poderá ditar muito no futuro do clube.

CLASSIFICAÇÃO

sexta-feira, 15 de maio de 2015

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Ribeirão ainda alimenta a esperança


O GD Ribeirão recebeu ontem no Estádio do Passal e venceu o Felgueiras por duas bolas a uma, na antepenúltima jornada do CNS-Série B e ainda mantém acesa a chama da permanência embora seja cada vez mais difícil, porque faltam apenas duas jornadas e existe apenas seis pontos em disputa e a diferença entre o Ribeirão e a primeira equipa acima da linha de água seja de cinco pontos e terá de acontecer um milagre para que ambas as equipas acima dos ribeirenses percam os jogos todos que tem para realizar, para que o Ribeirão se salve da descida de divisão.


Quanto ao jogo, e como é apanágio dos ribeirenses entram sempre melhor nas partidas, e conseguiu adiantar-se no marcador por Ogana duas vezes e na cobrança de castigos máximos e saiu a vencer ao intervalo por dois a zero. No começo do segundo tempo a dúvida voltou a pairar sobre o Passal, quando igualmente de grande penalidade o Felgueiras reduziu a vantagem ribeirense, mas desta feita o Ribeirão conseguiu segurar a vantagem e levar de vencida o seu adversário.

Na próxima jornada o Ribeirão desloca-se a Santo Tirso, e joga em vários campos, na esperança de ainda se safar da descida de divisão, os ribeirenses terão de vencer os seu encontro e esperar que o Vila Real perca o seu jogo em casa frente ao Amarante e o Santa Eulália não vença o seu jogo frente à AD Oliveirense, ou seja contas muito grandes, que podem ser favoráveis aos ribeirense e adiar as decisões para a última jornada onde o Ribeirão receberá o Santa Eulália e o Vila Real irá ao vizinho Oliveirense.

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Ribeirão está praticamente nos Distritais


O GD Ribeirão deslocou-se ontem a Vizela onde defrontou a equipa local e perdeu por cinco bolas a duas, num autêntico jogo que caracteriza bem a temporada desastrada da equipa ribeirense ao longo da época.

O Ribeirão alinhou com Christopher, Vitinha, Bruno Silva, Varela, Gil barros, Olatunji, Diogo Pires, Isaiah, Mendonça, Ogana e Onovo, este foi o noze escolhido pelo técnico Carlos Cunha, e o Ribeirão tal como tem feito em muitos jogos entrou melhor na partida e cedo se colocou em vantagem pelo jovem Onovo, aos 5 minutos de jogo, Onovo que despois das boas exibições nos juniores foi chamado ao plantel principal e correspondeu da melhor maneira ao estrear-se a marcar, depois do golo os vizelenses responderam de imediato e igualaram a partida aos 8' minutos. Depois aconteceu dois lances que marcaram a partida e o seu desfecho, primeiro foi a lesão do guarda-redes Christopher e a entrada de João Cruz para o seu lugar, e volvidos apenas alguns minutos, João Cruz é expulso na partida após cometer grande penalidade e o juiz da partida a dar ordem de expulsão ao guardião ribeirense, com esta situação e sem mais guarda-redes no banco, foi para a baliza Olatunji, e o Ribeirão sofreu três golos até ao intervalo, primeiro na grande penalidade aos 23' minutos, depois logo a seguir por Fininho aos 25', e o quatro a um que se verificava ao intervalo aconteceu aos 44' minutos, mais não podia fazer o Ribeirão que depois de tanto infortúnio na partida, pouco ou nada havia a fazer a não ser cumprir o tempo de jogo até ao final.

Na segunda parte o técnico trocou de guarda-redes, foi para a baliza Mendonça e para terreno de jogo foi novamente Olatunji, coisa pouco vista em campeonatos profissionais, mas prevista nos regulamentos. Na segunda parte assistiu-se ao respeitar por parte dos jogadores do Vizela dos seus colegas de profissão e apenas houve dois lances de registo o quinto golo para o Vizela aos 85' minutos por André Pinto e a finalizar Olatunji a fazer o segundo para os ribeirenses.
O jogo claro está foi sem interesse e o confirmar da péssima temporada do Ribeirão que praticamente caiu ao distritais da AF Braga, quando faltam disputar três jornadas, a diferença pontual ainda é matematicamente possível, mas todos sabemos que teria de acontecer um milagre para tal acontecer e muitos factores para esses mesmo milagre se operar e não ver ser nas últimas jornadas que isso vai acontecer e infelizmente o Ribeirão vai cair nos distritais, onde repito já não está desde a época 1993/1994, ou seja há mais de 20 anos que os ribeirenses não jogavam nos distritais.


CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dois jogos em casa e apenas dois pontos

O GD Ribeirão realizou dois jogos consecutivos em casa, e quando se esperava uma reacção aos maus resultados e esperava-se que o clube encontra-se o caminho dos triunfos, com a entrada de mais um treinador para o plantel principal, o quarto treinador da temporada (Pedro Hipólito, António Pereira, Manuel Tulipa e agora Carlos Cunha) e o oitavo em duas épocas (Daniel Ramos, Ricardo Soares, Flávio das Neves, Rui Baptista e os restantes quatros desta temporada), para não falar dos treinadores ribeirenses que foram colmatando as saídas de alguns dos técnicos (Vitor Alcino/Amadeu Pinheiro), isto é manifestamente muito treinador para somente duas temporadas e se calhar está aqui um dos erros de mau planeamento das temporadas e os resultados espelham bem isso mesmo e a culpa não é só dos treinadores e é só ver aquilo que alguns deles já fizeram e continuam a fazer, é a politica que o clube tem seguidos nos últimos dois anos que tem levado à situação em que o clube se encontra.
Más escolhas levam a maus resultados e o futuro por muito que me custe a admitir irá passar pela descida aos regionais, onde o Ribeirão já não está desde a época 1993/1994. Mas às vezes na vida temos de dar um passo atrás para nos levantarmos e mudarmos o rumo das coisas, ou corremos sérios riscos de nos perdermos de vez e eu entendo que é isso que o clube precisa neste momento, precisam os directores de admitir os erros e dar a mão à palmatória e construir um percurso diferente e realista, e precisamos todos que o clube volte a ser respeitado quer por dirigentes, atletas, intervenientes desportivos, intermediários, sócios, simpatizantes como um clube digno e honrado e que é capaz de potenciar e valorizar atletas para as ligas profissionais portuguesas, como são os casos de atletas que hoje jogam nesses campeonatos e que começaram o seu percurso sénior no nosso clube e hoje jogam nos clubes da elite nacional.
Quanto aos jogos, dois empates um frente à AD Oliveirense a uma bola e mais uma vez depois de estar a vencer, e outro um nulo frente ao Amarante que colocou o Ribeirão na última posição da classificação, coisa só vista no clube na época de 1989/1990, na III Divisão em que terminou em último lugar, com apenas quatro vitórias em 34 jornadas.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Carlos Cunha é o 4º treinador do GDR

Carlos Cunha vai ser o próximo treinador do Ribeirão, confirmou ontem terça feira a direcção do GD Ribeirão.
Depois de no final da época passada ter deixado o Limianos, o treinador natural de Ponte de Lima, de 43 anos, vai assumir o comando técnico do Ribeirão, sucedendo a Manuel Tulipa, António Pereira e Pedro Hipólito, sendo o 4º treinador da presente temporada a orientar o clube, que neste momento ocupa o penúltimo lugar da Série B da Fase de Manutenção do CNS.

Carlos Cunha terá pela frente uma tarefa complicada, já que o Ribeirão está a passar por uma fase muito negativa e está longe dos lugares de manutenção, quando apenas faltam jogar seis jornada para o final do campeonato. O novo técnico Carlos Cunha tem quase a missão impossível de salvar o Ribeirão da despromoção aos distritais da AF Braga.
Esta é a quarta experiência como treinador de uma equipa sénior, depois de ter treinado Ponte da Barca, Valdevez e Limianos. E é conhecido por ser um treinador que gosta de apostar nos jovens e valoriza as suas competências, mas a tarefa não será nada fácil. Até ao final do campeonato o Ribeirão tem seis jogos a disputar, sendo que quatro deles são em casa e poderá ser a tábua de salvação da equipa, se fizer do Passal a sua fortaleza e conseguir com o apoio da massa adepta fugir aos lugares de despromoção, assim na próxima jornada o Ribeirão recebe o vizinho Oliveirense, que já tem a manutenção assegurada, na jornada dez recebe Amarante que não estando a salvo, está tranquilo na classificação; na 11ª jornada vai ao líder Vizela que apenas cumpre calendário, já com a manutenção assegurada e sem mais objectivos na temporada; depois recebe no Passal na 12ª jornada o Felgueiras que já assegurou a manutenção e vem a Ribeirão cumprir calendário, depois na penúltima jornada vai ao vizinho Tirsense que na altura poderá estar tranquilo na classificação ou então ainda a lutar para não descer, e por fim recebe no Passal a formação do Santa Eulália que é nesta altura o adversário mais próximo na classificação e o grande adversário dos ribeirenses.

===================== X =====================
RECORTES DE JORNAIS

O JOGO

RECORD

A BOLA

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Ribeirão com a corda ao pescoço


O GD Ribeirão deslocou-se ontem a Vila Real, para defrontar a equipa local e perdeu por duas bolas a uma, em jogo a contar para a 8ª jornada do CNS da série B, e assim afunda-se mais no fosso, e fica literalmente com a corda ao pescoço, e nunca o estádio dos vila-realenses teve tanto significado, Monte da Forca, é o estado em que o Ribeirão se encontra, com a Forca na garganta e quase com a missão impossível de fugir aos regionais onde já não estava desde a época 1993/1994.

(Foto do Desportivo Transmontano: http://www.desportivotransmontano.com/cns-vila-real-vence-ribeirao/)

Quanto ao filme do jogo, o Ribeirão até entrou melhor na partida, mas depois foi baixando o seu rendimento, e ao intervalo, resumia-se em duas oportunidade de golo flagrantes, uma para cada equipa.
Na segunda parte o jogo mantinha-se na mesma toada até que Felipe o melhor jogador do Vila Real em campo, finalizou com êxito um passe de um colega, isto aos 60 minutos de jogo, o Ribeirão reagiu bem e volvidos nove minutos, aos 69' minutos num canto, chegou à igualdade pro Aylton Boa Morte, que na sequência do canto a bola a ser rechaçada por Isaiah que colocou na entrada da área e o avançado ribeirense a fazer a igualdade, com o golo o Ribeirão acreditou que era possível chegar à vantagem e à vitória, mas foi mais coração que cabeça, e como tem sido apanágio dos últimos encontros sofreu mais um golo ao cair do pano, depois de Vitinha ter cometido falta e ter visto o segundo amarelo e ter sido expulso, na cobrança do livre Rui Magalhães não deu hipóteses de defesa a Christopher e colocou os Vilarealenses em vantagem e fez com que o Ribeirão sofre-se mais uma derrota neste campeonato.

Com esta derrota o Ribeirão viu o seu adversário colar-se com dez pontos e pior ainda viu as equipas dos lugares de fuga fugiram na classificação estando nesta altura o Santa Eulália com mais sete pontos que o Ribeirão e assim agoniza-se mais a crise de resultados na equipa ribeirense que vê cada vez mais difícil a sua situação no CNS.

CLASSIFICAÇÃO