segunda-feira, 31 de Março de 2008

Comentário à vitória fantástica...

O Ribeirão hoje(30 Março) fez uma óptima exibição perante um Valdevez completamente desinspirado e sem ideias. O Ribeirão adiantou-se no marcador através do inevitável Pires, correspondendo a um livre estudado e executado por P.Moita. O Ribeirão acabou por gerir a vantagem, conseguindo msm aumenta-la novamente por Pires, após passe do mágico Ricardo Jorge.No segundo tempo, o Valdevez acabou por crescer, fruto também de um certo adormecimento da equipa ribeirense, acabando por reduzir num remate forte de Amaral. No entanto, o Ribeirão controlava a partida e conseguiu chegar ao 3º golo, assegurando desta forma uma maior segurança. Este golo acabou por ser obtido por Nélson num livre INdirecto, contando com a preciosa ajuda do guarda-redes do Valdevez, pois este golo apenas foi validado devido ao toque dado pelo guardião, já que Nélson rematou directamente, não se apercebendo da sinaléctica do árbitro tal como aconteceu com o guarda-redes, pois o livre seria indirecto. Com o 3ºgolo, a equipa do Valdevez desanimou completamente, abrindo vários espaços no sector defensivo, assistindo-se com naturalidade ao 4ºgolo da turma forasteira, novamente pelo goleador Pires, após uma BRILHANTE jogada entre os dois melhores jogadores do encontro, a par de Luís Alberto, nomeadamente o tecnicista Ricardo Jorge e Pires.
Com esta vitória o Ribeirão tem tudo para ambicionar a subida de divisão pois tem uma grande equipa para conseguir esse fantástico feito.
Força RIBEIRÃO
NÓS ACREDITAMOS......

domingo, 30 de Março de 2008

A VINGANÇA SERVE-SE FRIA! O SONHO COMEÇOU!


VALDEVEZ 1 - 4 RIBEIRÃO


"Frango servido no Pires!"


A Vingança serviu-se fria! O Ribeirão venceu e convenceu,ao deslocar-se a Valdevez, onde bateu por 4 bolas a 1, a equipa da casa, com um hatrick de Pires.



É caso para dizer que o SONHO COMEÇOU!

Marcadores:


Pires21', Pires45', Amaral55', Nélson77', Pires82'


Iniciados Campeões!


Os Iniciados do GD Ribeirão sagraram-se hoje campeões de série, nos distritais da AF Braga,e agora vão disputar o acesso aos nacionais do mesmo escalão.


GD Ribeirão 8-0 FC Famalicão
Vitória esmagadora das nossas jovens promessas e demonstraram de uma vez por todas que somos o melhor clube do Concelho, quer ao nivel dos séniores, quer nas camadas de formação.
O Orgulho do Concelho,
Somos NÓS!

Parabéns Muídos!!!

sábado, 29 de Março de 2008

Juniores em 1º Lugar

Os juniores do G.D. Ribeirão venceram hoje a Oliveirense por 4-1 e passaram para o 1º lugar, beneficiando do empate do Fafe. Agora jovens o mais dificil foi alcançado, basta terem cabeça e concentração e jogarem em todos os jogos o futebol que sabem, que alcançarão os objectivos pretendidos.

sexta-feira, 28 de Março de 2008

Entrevista do Jornal Viver a Nossa Terra a José Dias, presidente da Assembleia Geral do GD Ribeirão


“Hoje o Ribeirão é um dos clubes de referência"

No mês em que o Grupo Desportivo de Ribeirão completa 40 anos de existência, José Dias, actual presidente da mesa da assembleia-geral completa 25 anos como membro dos órgãos sociais do clube.Viver a Nossa Terra na rubrica “na primeira pessoa” conversou com José Dias que nos falou desta sua longa experiência no clube da terra. Viver a Nossa Terra - Durante a sua juventude esteve muito ligado à J.O.C. (Juventude Operária Católica). Que significado teve na sua formação como homem e cidadão?José Dias - A melhor possível. Nesta instituição posso dizer que tirei mais um curso na escola da vida.Andei na JOC entre 1972 e 1975, onde cheguei a ser presidente durante um ano, tendo sido numa altura em que houve uma mudança radical nas nossas vidas – Revolução de Abril de 1974.Participei em inúmeros encontros de formação onde se estudou diversos documentos ligados à Igreja, nas áreas laboral, sindical e política.Estou muito grato aos responsáveis desse tempo em especial aos Padres Henrique Faria e Fernando Abreu, assim como aos colegas e amigos desse tempo.

VNT - Que recordações conserva da sua participação na guerra colonial? Marcou-o positiva ou negativamente?

JD - A única coisa negativa desse tempo foi o ter prejudicado a minha saúde devido ao clima e às péssimas condições que tínhamos na altura e o risco e perigo constante de uma guerra para a qual não estávamos devidamente preparados.Mas também houve o lado positivo: para um jovem com vinte anos que saiu da aldeia e ter tido a possibilidade de conhecer o país e depois Moçambique, e conviver com pessoas das mais diversas origens e culturas. Foi um aspecto importante e enriquecedor. Foram momentos inesquecíveis.

VNT - A sua experiência na autarquia foi positiva ou ficou desiludido?

JD - De uma forma geral foi uma prestação positiva. Fui vogal na junta presidida pelo sr. Heliodoro Rodrigues e com as suas virtudes e defeitos, o certo é que foi um homem dedicado ao trabalho de corpo e alma, em prol da comunidade.Por outro lado, para além de adquirir alguma experiência nesta área consegui o meu principal objectivo que era conseguir que a Câmara Municipal pudesse adquirir o terreno para o futuro parque desportivo, estando desta forma ao serviço das Camadas Jovens do GD Ribeirão.Depois fui membro da assembleia de freguesia e fiquei a conhecer como funciona uma autarquia por dentro e por fora e, desta forma, dou valor a todas as pessoas que se disponibilizam a trabalhar nesta área e que por vezes são mal compreendidas por parte de algumas pessoas.

VNT - O que é que leva um homem a gostar tanto de futebol e do clube da sua terra?

JD - Eu gosto de todo o desporto, da cultura e do associativismo, no entanto, na altura a única associação em plena actividade era o Grupo Desportivo, posteriormente, felizmente, apareceram outras associações e das quais também sou sócio e nós ribeirenses temos por obrigação de fazer algo por elas porque são o espelho das capacidades e do crescimento da nossa terra.

VNT - E a trabalhar em prol da colectividade durante tantos anos?

JD - Enquanto me sentir útil e as pessoas ligadas ao clube me convidarem a continuar, é para mim um prazer pois isto já faz parte da minha vida.

VNT - Em todos estes anos de trabalho voluntário que conclusões tira da evolução do GDR?

JD - Muito positiva. Eu conheço toda a história do clube, pois sou ainda do tempo dos campeonatos regionais e do campo pelado.Hoje temos um clube com um estatuto de nível nacional e somos uma instituição digna e que é o orgulho de todos aqueles que de alguma forma contribuíram para que tudo isso seja uma realidade.

VNT - No início do mês o GD Ribeirão completou 40 anos de existência. Há motivos para se festejar?

JD - É evidente que sim. O clube está bem e devemos estar orgulhosos da sua vitalidade e crescimento.

VNT - Mesmo sem festejos “muito” visíveis?

JD - De facto, nos últimos anos tem-se feito um jantar de aniversário em alguns deles bastante participativo tendo alguns ultrapassado meio milhar de pessoas.Nos últimos aniversários temos tido uma acentuada diminuição de participantes como foi o caso do ano anterior em que não chegou a uma centena de pessoas. Estes eventos dão muito trabalho e despesa e os responsáveis do clube estão a pensar em algo diferente, porventura mais popular. Brevemente será anunciado um programa que vá de encontro ao agrado da massa associativa e ao alcance da bolsa de todos.

VNT - Entende que o papel de formador de crianças e jovens tem sido uma função conseguida pelo clube?

JD - Eu penso que sim. No entanto, faltam limar algumas arestas e a principal falha passa por não haver um projecto a médio/longo prazo por parte dos responsáveis do clube, no sentido de haver uma continuidade do trabalho desenvolvido pelos responsáveis da formação e integrar essa mesma formação no futebol sénior.

VNT - Durante as muitas gerações de atletas, seguiu-lhes o trajecto ou perdeu-lhes completamente o rasto?

JD - Quando o clube estava nos regionais era difícil algum atleta singrar no futebol ao nível nacional. Os primeiros atletas a triunfar no futebol ao mais alto nível foram: o André que jogou no Varzim e no Porto onde ganhou vários títulos nacionais e internacionais, tendo jogado também na selecção nacional; o Vitoriano que se destacou no Varzim tendo jogado várias épocas no primeiro escalão nacional.Anos mais tarde outro atleta chega à primeira divisão, foi o João Pedro que representou o Salgueiros e o Santa Clara.Mais recentemente tem havido atletas dos escalões de formação do Porto e Boavista que jogam no Ribeirão por empréstimo e também são internacionais nos escalões mais jovens, como por exemplo Bruno Pinheiro, Bura, Monteiro e Trigueira. É evidente que parte deles irão fazer carreira ao mais alto nível.Da nossa formação também temos tido alguns jovens atletas a serem cobiçados por clubes de outras dimensões como por exemplo o Amorim e o Miguel que saíram para o Guimarães e que têm sido chamados à selecção da AF Braga e à selecção nacional sub-15 no caso do Gavina.É evidente que me sinto satisfeito e até orgulhoso mas o mais importante é dar condições a estas dezenas de jovens de os ocupar e formá-los para a vida.

VNT - Quer-nos contar algum episódio curioso que o tenha marcado na sua carreira de dirigente?

JD - Durante a minha actividade de dirigente houve momentos muito bons e outros menos felizes mas o que mais me satisfez foi conseguir que se construísse um campo destinado à formação. Lutei muitos anos para que isto fosse uma realidade. Senti-me feliz quando se deu início à terraplanagem, durante o meu mandato como presidente, e em 2005 quando se inaugurou o piso sintético, obra suportada pela Câmara Municipal.

VNT - Tem publicado no “Viver a Nossa Terra” a verdadeira história do Ribeirão. Tem tido algum retorno?

JD - Vi nascer o Grupo Desportivo de Ribeirão, conheci a primeira geração de dirigentes do clube, eu faço parte da segunda geração e dado o facto de ter um conhecimento profundo da vida do clube, entendi que seria oportuno ficarem registados para a posteridade os factos mais relevantes da história do clube.Começa a aparecer já uma terceira geração de dirigentes e alguém tem que fazer essa transição. Muito embora o Ribeirão seja um clube ainda jovem, o certo é que posso afirmar que deve haver poucos clubes que tenham o registo do seu historial como o nosso clube tem.

VNT - Foi também presidente do clube. Foi o culminar de uma vontade, ou uma necessidade?

JD - Foi uma necessidade. Fui presidente durante três épocas mas tive a felicidade de ter comigo um excelente grupo que muito me ajudou e muito facilitou a minha tarefa.

VNT - Actualmente o Ribeirão é um clube de referência. Porquê?

JD - Depois do clube já estabilizado no mandato de António Pereira, seguiu-se um novo ciclo e um projecto mais ambicioso. Primeiro Adriano Telles levou novamente o clube à segunda divisão nacional. Com Vítor Moreira, melhorou-se as instalações e inaugura-se o campo sintético. Com José Maria Santos alcança-se o quarto lugar na classificação geral tendo feito figura na Taça de Portugal ao bater o Rio Ave que militava no primeiro escalão do futebol português. Com a aposta em treinadores bastante conhecidos como Vital, Vítor Paneira, Dito e Tulipa, o clube tornou-se mais falado na comunicação social.Mas para mim o homem que tem tido mais influência em torno deste projecto é o actual presidente, Adriano Pereira, que na prática esteve por traz de todos os presidentes já citados.Com a construção do Parque Desportivo Municipal, da dedicação dos dirigentes e treinadores da formação, hoje o Ribeirão é um dos clubes de referência a trabalhar com futebol jovem em qualidade como em quantidade, como se comprova com as várias equipas de formação a lutarem pelos lugares cimeiros. Para culminar todo este esforço, só falta colocar uma ou mais equipas nas provas a nível nacional.

VNT - Também” sente” assim as outras associações da nossa terra?

JD - Felizmente, em Ribeirão temos diversas associações nas mais diversas áreas: social, cultural, desportiva e recreativa, e todas elas se completam, sem haver atropelos, seguindo cada uma o seu caminho.Podemos citar obras extraordinárias: Centro Social Paroquial com creche e lar; Associação Casa do Povo com a recuperação do edifício pôde voltar em pleno à actividade; Associação Cultural, Recreativa e Social de Ribeirão com a construção de um magnífico pavilhão; Clube de Cultura e Desporto de Ribeirão que para além do seu jornal “Viver a Nossa Terra” tem diversas actividades com destaque para o atletismo que actualmente está na 1ª divisão nacional ao lado de grandes clubes como o Sporting, Benfica e Porto. Os ribeirenses em geral ainda não se aperceberam que em Ribeirão há um clube na 1ª divisão nacional.Há mais instituições em Ribeirão que merecem os mais rasgados elogios graças à dedicação dos seus dirigentes.Aproveito a oportunidade para felicitar dois ribeirenses que estão a trabalhar e bem ao mais alto nível no concelho de Vila Nova de Famalicão, são eles os professores Leonel Rocha vereador da Educação e Cultura e Álvaro Santos, director da Casa das Artes, tendo sido ambos presidentes do CCDR.Para terminar queria saudar o meu amigo António Alves que também completou 25 anos como director do GD Ribeirão, sendo no momento o secretário geral, cargo de muita responsabilidade.

VNT - Que sonho gostaria de concretizar no Ribeirão?

JD - Gostaria de ver a construção de um campo de futebol de sete no espaço existente para ele e de ver o Parque Desportivo Municipal concluído.

VNT - A personalidade da sua vida.

JD - Sá Carneiro.

VNT - O filme da sua vida.

JD - Música no Coração.

VNT - O livro da sua vida.

JD - O que estou a escrever em colaboração com a equipa de redacção do jornal “Viver a Nossa Terra”, sobre a história do futebol em Ribeirão.

VNT - Local que gostaria de visitar.

JD - Moçambique, em especial as localidades onde prestei serviço militar durante a guerra de África entre 1970 e 1972.

VNT - Local onde gostaria de viver.

JD - Sinto-me bem na Terra que me viu nascer – Ribeirão.

VNT - Que mensagem quer levar aos leitores do “Viver a Nossa Terra” e particularmente aos sócios do Ribeirão?

JD - Felicitar todas as pessoas que tenham feito algo nas nossas instituições e apelar às pessoas que não querem ou não tendo disponibilidade para trabalhar, pelos menos sejam compreensivas e solidárias.

quarta-feira, 26 de Março de 2008

NÓS ACREDITAMOS!

NÓS ACREDITAMOS!
É esta a campanha que a direcção do G. D. Ribeirão está a promover pela Vila de Ribeirão com o intuito de cativar mais gente para assistir aos jogos do Ribeirão. E de quem sabe se nos deixarem sonhar, apoiar a equipa até à desejada subida de divisão, que seria em feito inédito e único na história do nosso clube.
Para que esta campanha funcione é necessário que tu e todos os sócios e simpatizantes do clube estejam unidos neste causa que é de todos e a causa de uma terra!
Força Ribeirão...
...Com coragem e ardor serás sempre o campeões!

terça-feira, 18 de Março de 2008

Sorteio do Campeonato Nacional da II Divisão

Ontem, Segunda-Feira, 17 Março 2008
O Auditório ‘Manuel Quaresma’, na Sede da Federação Portuguesa de Futebol, foi palco, dos sorteios do Campeonato Nacional da II Divisão (2ª fase de subidas e permanências). Eis os resultados do sorteio da 2ª fase de subidas:
Série “A”

Chave das Jornadas:

1ª Jornada (30.03.2008):
LOUSADA-U.MADEIRA
TIRSENSE-CHAVES
VALDEVEZ-RIBEIRÃO

2ª Jornada (06.04.2008):
U.MADEIRA-VALDEVEZ
CHAVES-LOUSADA
RIBEIRÃO-TIRSENSE

3ª Jornada (13.04.2008):
U.MADEIRA-CHAVES
LOUSADA-RIBEIRÃO
VALDEVEZ-TIRSENSE

4ª Jornada (20.04.2008):
VALDEVEZ-CHAVES
RIBEIRÃO-U.MADEIRA
TIRSENSE-LOUSADA

5ª Jornada (27.04.2008):
CHAVES-RIBEIRÃO
U.MADEIRA-TIRSENSE
LOUSADA-VALDEVEZ

CLASSIFICAÇÃO
U.MADEIRA 26pontos
TIRSENSE 25pontos
VALDEVEZ 23pontos
CHAVES 22pontos
RIBEIRÃO 22pontos
LOUSADA 21pontos

Resultados do GD Ribeirão em toda a Época




Ultima Jornada da 1ªFase termina com derrota na Madeira.




Este fim de semana o GD Ribeirão, já com a permanência garantida, deslocou-se à Ilha da Madeira, para defrontar a equipa do U. Madeira, acabando por ser derrotado por 2 bolas a zero, numa partida para cumprir calendário.

Foi uma vitória justa dos homens da casa, embora por numeros um pouco exagerados, a vantagem minima seria o resultado mais justo para o que se passou em campo.

Sorteio para apurar as equipas que sobem e que descem da 2ª Divisão, foi realizado ontem segunda-feira, dia 17 de Março.

quarta-feira, 12 de Março de 2008

4 Jogadores do Ribeirão chamados novamente à selecção de Sub-20

ESTÁGIO PARA PREPARAR TORNEIO CAMPOS VERDES

Lista de Convocados:
Diogo Oliveira (Lousada), Fábio Santos (Tourizense) e Luís Neto (Varzim) são as novidades na convocatória da Selecção Sub-20, que entre os dias 10 e 12 vai preparar a participação no Torneio Campos Verdes. Para além destes estreantes, o técnico António Violante chamou ainda os seguintes jogadores: Carlos Alves (Atlético), Ivan Santos (Boavista), João Gonçalves e João Martins (O. Moscavide), Luís Portela (Pinhalnovense), Marco Lança (Mafra), João Freitas (Marítimo), Fábio Paim (P. Ferreira), André Castro e Hugo Ventura (FC Porto), Bura, Jorge Monteiro, Pedro Trigueira e Tiago Silva (Ribeirão), Licá (Tourizense), Ruben Saldanha e Vítor Lobo (Padroense), Orlando Sá e Vítor Hugo (Maria Fonte), João Aurélio (Penalva Castelo) e Daniel Candeias e Yazalde (Varzim).
A selecção portuguesa irá defender, entre 15 e 18 de Abril próximos, a vitória alcançada no último Torneio Campos Verdes, tendo como adversários os EUA, Cabo Verde e Irlanda do Norte.

Objectivos da Época já alcançados!





O Ribeirão alcançou este fim de semana os objectivos para a Época 2007/2008, ao vencer o Machico em casa por 2 bolas sem resposta, obteve os 3 pontos e assim dessa forma alcançou os objectivos para a época, que era ficar entre os 6 primeiros garantido desse modo a permanência na 2 Divisão Nacional, agora é só sonhar e jogar, tal e qual como os atletas do Ribeirão gostam. Dar assas ao sonho e se for possivel alcançar esse sonho, que ele seja possivel de realizar e que os sócios e adeptos saibam apoiar convenientemente os seus atletas.

Uma palavra também para os Iniciados que já são campeões de série, agora venham os nacionais.

terça-feira, 4 de Março de 2008

Derrota inesperada


O GD Ribeirão deslocou-se este fim-de-semana ao terreno do Fafe. E perdeu por 2 bolas a uma. Os da casa adiantaram-se no marcador e for para o intervalo a vencer pela margem minima. No inicio da segunda parte o Ribeirão entrou da melhor forma, ao restabelecer a igualdade por intermédio de Pires, logo ao minuto 46', mas quando ninguém esperava o Fafe adiantou-se novamente na frente do marcador e acabaria por vencer esta partida.

Foi uma derrota inesperada, mas que nada põe em causa os objectivos da equipa.